<body bgcolor="#FFFFFF"><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d19753705\x26blogName\x3dle+fabuleux+destin\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://lfabdestin.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://lfabdestin.blogspot.com/\x26vt\x3d-571507579209464082', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

                

Comentários #3
Camiseta cinza de manga comprida, calça jeans levemente rasgada, meias brancas e papetes vermelhas. Cabelo solto, meio bagunçado e brincos de argola. Assim, na companhia de mais três pessoas, chego à uma pizzaria deliciosa de Botucatu: Semião. Para quem nunca comeu, ou até pra quem já comeu pizza frita, essa é uma ótima pedida, ainda mais por ter tantas opções de pizza sem carne.
Enfim, lá estávamos nós, esperando por nossa pizza meia brócolis, meia beringela, quando resolvo pedir - como de praxe - um pedacinho de massa crua a um dos pizzaiolos. A dona do restaurante, que desde o início resolveu puxar papo, olha pra mim sorrindo e diz:
- Ah, eu não acredito...
Eu dou um sorriso meigo e continuo a amassar minha massinha comestível.
- Quantos anos você tem? - ela pergunta.
- Vinte e um!
- VINTE E UM? Como assim? Não acredito!
- Haha, por quê? Você pensou que eu tivesse quanto?
- Ah... uns treze!

Nota: não esquecer o documento de identidade nunca mais na vida inteira!

Até mais ler.

por Andrea de Lima @ 3/29/2009 11:51:00 PM
 
TPM?
Devido a uma instabilidade hormonal que me acompanhou por quase um ano, cheguei a desaprender o significado da sigla TPM. Não que eu não recordasse as letras que seguiriam cada uma das iniciais, mas as sensações sumiram de mim. Eu tinha uma idéia, é claro, por ser filha de uma mãe, prima de cinco primas, amiga de muitas amigas – que garanto serem exímias conhecedoras e representantes da tensão pré-menstrual – e, é claro, namorada de uma namorada. A homossexualidade tem lá suas adversidades, ou, em outras palavras: são ossos do ofício.
Bom, até que fui ao médico e pedi um remédio que me devolvesse aqueles rubros dias em que muitas se reconhecem mulher. Loucura? Talvez. Mas o meu eu mais primitivo ansiava por isso e, como uma boa e estranha psicóloga, achei melhor respeitar. Tomei o remédio e após um mês o resultado sorriu para mim. Juro que foi um momento feliz. De uma alegria até meio patológica, mas que durou somente até o momento em que a cólica me consumiu e eu me dei conta de que as quarenta e cinco patadas e grosserias que eu havia compartilhado com o mundo na semana anterior, eram o resultado da TPM. Cheguei até a amaldiçoar aquela dor e sensação horríveis, mas em momento algum me arrependi do que fiz.
Até que chegou esse mês e a TPM surgiu do fundo do meu útero, dizendo:
- Oi!
Preferi nem olhar pra cara dela. Talvez se eu a ignorasse, ela passaria por despercebida. Doce ilusão. Ela chegou com tudo após apenas quarenta minutos acordada.
Levanto todos os dias às 06:30h para ir à faculdade que, por puro sarcasmo do destino, fica do outro lado da cidade, numa das avenidas mais movimentadas. Então me levanto, tomo um banho rápido, pego meu pãozinho, entro no carro e minha mãe me deixa no ponto de ônibus. Supostamente, ele tem um horário de chegada e este gira em torno das 7:10/7:20h. Notem que existe uns bons dez minutos de diferença entre os dois horários. Porém, não satisfeito com a diferença de dez minutos, o busão resolveu que não tem mais horário para passar. Então eu chego ao ponto 7:10h e fico esperando sua ilustre chegada, às vezes, por quarenta minutos. E o pior: ELE NÃO CHEGA! Vale recordar da localização da minha faculdade e informá-los de que, de ônibus, num dia de pouco trânsito, eu demoro uns trinta e cinco minutos para chegar até lá. Com trânsito pode chegar a uma hora. Logo, se eu entro no ônibus às 7:45h – que é o que tem acontecido – eu chego atrasada. Quem quiser ser mais exato, faça as contas! Ah, além disso, é soltando fogo pelas ventas que acrescento que não pego o ônibus “certo”. Acabo pegando um outro, que pára a uns duzentos metros da PUC, do outro lado da avenida mais movimentada da cidade. É sim, porque a essas alturas todas as outras avenidas somem do mapa e só existe aquela filha duma puta que hospeda a minha faculdade.
Pausa: estou irritada com o WORD, porque ele se recusa a adicionar a palavra “puta” ao seu dicionário. Programa conservador dos infernos.
Voltando ao assunto, hoje não foi diferente. Mesmo esquema: levantar, tomar banho, comer, ir pro ponto e esperar. E esperar e esperar e esperar e querer matar o primeiro infeliz que me perguntasse se o 210 já tinha passado. Por sorte, ninguém perguntou nada. Acho que eu estava irradiando ódio. Ódio do ônibus, ódio do motorista, ódio do cobrador, ódio da teleatendente da companhia de transporte, ódio do dono da companhia, ódio do governo, por deixar a companhia ter dono e não ser capaz de administrá-la, ódio dos cinco reais que eu gasto todo santo dia para ir estudar e, futuramente, cuidar da cabeça dos, talvez, filhos de todas essas pessoas de quem eu senti ódio. Aliás, principalmente pelos cinco reais, que, ao final do mês, somam cem. Por cem reais e mais os impostos que meus pais – por enquanto – pagam, eu deveria andar num ônibus que ao menos não atrasasse! Afinal de contas, não basta atrasar: eles são sujos, fedidos, desconfortáveis, barulhentos, quentes e com a pior suspensão que um automóvel pode ter!
8:25h, após entrar na sala de aula recoberta da aura de uma serial killer, resolvi ligar pra pobre namorada e chorar. Sabe quando você chora de raiva? Sabe quando você chora por saber que mesmo se você, com todo respeito, pedisse por obséquio, que o transporte coletivo fosse melhor e mais pontual, não adiantaria nada? Pois é. Chorei. E não adiantou nada. Só chorei. Se eu não estivesse de TPM provavelmente eu teria, sei lá, ficado puta e pronto. Ó lá o WORD, de novo, rejeitando o meu puta! PUTA PUTA PUTA E PUTA! Bom, eu só sei que, no final das contas, acabei dando um novo significado pra sigla TPM: TRANSPORTE PÚBLICO DE MERDA!

Até mais ler.

por Andrea de Lima @ 3/12/2009 03:04:00 PM
 
Oi, bem?!
É, dei uma sumidinha. Mas sabe como é. Carnaval é samba do pé e descanso pros dedos e pra vista. E eu sambei, viu? Ô se sambei. Digo, dancei. E muito. Mas naquele velho estilo:
- Dançou, queridinha!
Estômago zoado, mente confusa. Blé. Em breve tem post. A idéia tá aqui, mas gastei a criatividade escrevendo uma redação em inglês sobre uma land far far away, chamada Imaginarium. Nota-se que nem à tarde eu tive saco de escrever algo que prestasse. Mas eu achei que ficou fofa. Nessa terra tem árvores coloridas, um rio de chocolate quente que corre por entre elas e flores de torradas. Imagina, só? Lá é sempre café da manhã! Que delícia.
Bom, eu só apareci pra contar que agora eu sou super chique, tenho um laptop lindo, um roteador lindo e a minha sorte do orkut é: "A pessoa que lê sua sorte não veio trabalhar hoje. Boa sorte mesmo assim!". É isso aí, orkut. Melhor que isso só o bom e velho: No donnut for you. E nem pra mim. O negócio é comer bolo de duas cores mesmo.

Tchau, vou tomar vitamina.

Errata: era suco de acerola.

por Andrea de Lima @ 3/02/2009 10:02:00 PM
 
moi
je par me
Saboreando as pequenezas da vida e tornando-as grandes. Tateando letras e montando um quebra-cabeça de palavras, em busca de alguma elucidação sobre mim, sobre você, sobre o mundo...

 
plus du moins
 
archive
 
aventures récentes
 
 
quincaillerie



blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

stéfis \o/