<body bgcolor="#FFFFFF"><script type="text/javascript"> function setAttributeOnload(object, attribute, val) { if(window.addEventListener) { window.addEventListener('load', function(){ object[attribute] = val; }, false); } else { window.attachEvent('onload', function(){ object[attribute] = val; }); } } </script> <div id="navbar-iframe-container"></div> <script type="text/javascript" src="https://apis.google.com/js/plusone.js"></script> <script type="text/javascript"> gapi.load("gapi.iframes:gapi.iframes.style.bubble", function() { if (gapi.iframes && gapi.iframes.getContext) { gapi.iframes.getContext().openChild({ url: 'https://www.blogger.com/navbar.g?targetBlogID\x3d19753705\x26blogName\x3dle+fabuleux+destin\x26publishMode\x3dPUBLISH_MODE_BLOGSPOT\x26navbarType\x3dBLUE\x26layoutType\x3dCLASSIC\x26searchRoot\x3dhttp://lfabdestin.blogspot.com/search\x26blogLocale\x3dpt_BR\x26v\x3d2\x26homepageUrl\x3dhttp://lfabdestin.blogspot.com/\x26vt\x3d-571507579209464082', where: document.getElementById("navbar-iframe-container"), id: "navbar-iframe" }); } }); </script>

                

Sobre a Parada do Orgulho Hétero...
Não sou heterofóbica, apesar de sentir uma certa raivinha ao ser agarrada em baladas ou em qualquer outro ambiente em que as pessoas se sintam à vontade para "chegar chegando". Sei de amigas que são heterossexuais e que também sentem essa raivinha. Mas eu menti. Não sinto uma raivinha... É algo como um ódio mortal e minha maior vontade nesses momentos é pegar o membro do indivíduo e enfiar güela abaixo. Entretanto, isso não pode ser chamado de um preconceito, uma vez que se fosse uma menina que chegasse com a delicadeza de um orangotango pra cima de mim, eu também sentiria algo estupendamente raivoso.
Aposto que os meninos que criaram a Parada do Orgulho Hétero não pensaram nesses seres machistas aderindo à moda, não? Explico: ao ler a reportagem não me senti ofendida e muito menos perplexa. Achei desnecessário o movimento, porém bem legal a idéia de explicitar que eles não são homofóbicos. Resolvi então entrar na comunidade para ver se estava rolando algum bafão. E como em qualquer comunidade com um algum conteúdo além do Jogo do Beijo, não era de se espantar que estava! Li algumas opiniões e comecei a formar a minha. Foi então que eu percebi que essa Parada, a princípio com boas intenções (sejam lá quais forem), poderia recrutar um grande número de pessoas que, sem ao menos saber a idéia de sua criação, lutariam contra a homossexualidade.
Só não jogo a primeira pedra, porque sei que a própria Parada do Orgulho Gay acabou em pizza. O que era pra ser uma reivindicação, virou carnaval fora de época. A maioria vai para ficar com quantos a mandíbula permitir, dançar e virar purpurina. Longe de mim querer estragar a diversão alheia, mas o que eu quero dizer é que perdeu o sentido. Sem contar o tráfico de drogas e o arrastão de celulares, que rolam soltos por lá. Porém esses últimos, creio eu, acontecem em qualquer evento muito cheio, infelizmente.
Uma outra coisa que me encucou nesse protesto hétero foi o lema: “Muitos são, poucos se orgulham…”. Eu gostaria muito que o criador de tal frase me explicasse onde está essa falta de orgulho. O machismo, característica gritante da sociedade brasileira, não representa bem o amor por essa condição sexual? E quando eu digo machismo, estou me referindo às mulheres também, que muitas vezes conseguem ser até piores que muitos homens.
Nada contra a idéia dessa galera, mas acho que eles deveriam repensar se é realmente necessário brincar com uma coisa que só aparenta não ser séria.

por Andrea de Lima @ 6/27/2007 02:43:00 AM
 
Tão platônico
Descobri há poucas horas que meu amor é platônico. Não, mentira: ele é parcialmente platônico, uma vez que já se concretizou inúmeras vezes, mas agora não mais.
Estou perdidamente apaixonada por um ideal, uma beleza real, mas que vejo como sendo a ideal, e não é. Porque se fosse, ela estaria comigo e do meu lado.
Porque é que o tempo passa rápido nas horas boas e é tão lerdo nas horas ruins? Será que nas boas você aprende pouco e nas ruins, muito?

Até mais ler.

por Andrea de Lima @ 6/22/2007 04:36:00 PM
 
S.O.S.
"Salve-se quem puder, que o mundo não pára para você descer".
E tenho dito.

por Andrea de Lima @ 6/16/2007 09:21:00 PM
 
moi
je par me
Saboreando as pequenezas da vida e tornando-as grandes. Tateando letras e montando um quebra-cabeça de palavras, em busca de alguma elucidação sobre mim, sobre você, sobre o mundo...

 
plus du moins
 
archive
 
aventures récentes
 
 
quincaillerie



blogger

Weblog Commenting and Trackback by HaloScan.com

stéfis \o/